Blog

Sua empresa está preparada para a Resolução SMA 100?

Sua empresa está preparada para a Resolução SMA 100?

É de conhecimento geral a publicação pela Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo da Resolução SMA 100. A resolução tem como finalidade revogar as resoluções anteriores SMA-90SMA-39 e SMA-58.

Resolução SMA 100 impacta diretamente na acreditação de laboratórios, segundo os requisitos estabelecidos na norma ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005, a qual é aplicável a laboratórios de calibração e de ensaio.

Principais impactos da Resolução SMA 100:

Concedeu prazo de 2 anos para a retomada da exigência da acreditação das atividades de amostragem, para as seguintes matrizes ambientais:

 I – água subterrânea em poço de monitoramento (método de purga por baixa vazão)
II – água para consumo humano
III – água bruta em poço tubular para fins de abastecimento
IV – água superficial
V – efluentes líquidos
VI – emissões atmosféricas em fontes estacionárias
VII – ar atmosférico (monitoramento automático e manual)

 

A CETESB é o órgão incumbido de definir, dentro do prazo de 2 anos, critérios para a aceitação de resultados de amostragens das matrizes não descritas acima e da regulamentação. A coordenação do GT Permanente é da Diretoria de Engenharia e Qualidade Ambiental da CETESB, para acompanhar a implementação da Resolução e discutir a regulamentação de certificação de serviços ambientais.

De acordo com a  NBR ISO/IEC 17025:2005 um dos critérios para a adequação e acreditação de laboratórios junto a Secretaria Estadual do Meio Ambiente é que podem ser usados instrumentos de medição para a calibração na coleta de amostras no método de purga de baixa vasão e no método de purga de volume determinado:

Método de Purga de Baixa Vasão:

Descrição do Método

Este método difere da purga tal como é definida, pois leva em consideração as características geoquímicas da água produzida para definir a finalização da purga. No método de baixa vazão a purga é realizada por meio de taxas de bombeamento reduzidas (entre 0,05 L/min e 1,0 L/min), compatíveis com a capacidade de produção do poço de monitoramento, que não causem o rebaixamento excessivo do nível da água, evitando a coleta da água não representativa. Durante o bombeamento, parâmetros indicadores são monitorados até que seja obtida a estabilização das suas leituras. O equipamento de amostragem deve ser posicionado de forma lenta no interior do poço de monitoramento, e para que se tenha um fator de segurança, deve ser posicionado preferencialmente no meio do tubo-filtro. A fi nalização da purga será definida por meio da estabilização dos parâmetros indicadores, de acordo com os critérios estabelecidos.”

“Antes do início da purga e ao final da coleta da amostra, é recomendável que sejam medidos, com sonda introduzida no poçoa turbidez e os parâmetros físico-químicos: temperatura, pH, potencial de oxirredução (ORP)condutividade elétrica (CE) e oxigênio dissolvido (OD). A quantidade de volumes de água a ser extraída do poço deve ser predeterminada no plano de amostragem e deve ser baseada em procedimentos regulatórios e nas características hidrogeológicas do local monitorado.”

Método de Purga de volume determinado:

Descrição do Método

“Este método consiste na remoção de determinado volume de água subterrânea do poço antes de se proceder à amostragem, com a finalidade de assegurar que água representativa da formação será coletada. Com base no diâmetro do tubo-filtro, da profundidade do poço e profundidade do nível da água, é calculado o volume de água contida no poço, que multiplicado pelo número de volumes que deve ser extraído, define o volume total de água a ser removido durante a purga. Antes do início da purga e ao final da coleta da amostra, é recomendável que sejam medidos, com sonda introduzida no poço, a turbidez e os parâmetros físico-químicos: temperatura, pH, potencial de oxirredução (ORP), condutividade elétrica (CE) e oxigênio dissolvido (OD). A quantidade de volumes de água a ser extraída do poço deve ser predeterminada no plano de amostragem e deve ser baseada em procedimentos regulatórios e nas características hidrogeológicas do local monitorado.”

O equipamento mais indicado para o procedimento de análise das amostras em poços é o Medidor Multiparâmetro U -50 da Horiba; este aparelho atende todas as exigência para medição da turbidez, bem como todos os outros parâmetros necessários, tanto no início da purga como antes da coleta das amostras do poço.

 

Características dos analisadores multiparâmetros de qualidade da água série U- 50 da Horiba

  • Medição em condições adversas;
  • Mede até 11 parâmetros de qualidade de água simultaneamente;
  • Alta sensibilidade na medição;
  • Pode ser calibrado para uso em diferentes partes do mundo;
  • Totalmente a prova d’água;
  • Fácil manipulação, uso e manutenção;
  • Longa vida útil.

U50 Medidor Multiparâmetro de qualidade de água

 

Sonda de medição com multi funções

 

Medidor multiparametro de qualidade da água Horiba - SondaO medidor multiparametro de qualidade da água HORIBA U-50 é dotado de sonda com múltiplos sensores capazes de medir até 11 parâmetros simultaneamente. Sensor ultra sensível de turbidez com precisão superior a outros aparelhos convencionais.

Todos os eletrodos podem ser trocados individualmente reduzindo os custos com a manutenção do aparelho.

 

 

 

Conheça o medidor de qualidade de água multiparamétrico Horiba entrando em contato com a CMS Científica.

 

Equipamentos HORIBAOrçamento