Blog

Estágios do câncer de mama são explorados com a cromatografia

Estágios do câncer de mama são explorados com a cromatografia

Os estágios do câncer de mama podem ser explorados com mais precisão usando a cromatografia no estudo em larga escala de proteínas.

O Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima que para cada ano do triênio 2020/2022, sejam diagnosticados no Brasil 66.280 novos casos de câncer de mama, com um risco estimado de 61,61 casos a cada 100 mil mulheres.

Mas, como acontece com outros tipos de câncer – quanto mais cedo o câncer de mama é diagnosticado, melhor o prognóstico. Um método que pode oferecer margem para um diagnóstico precoce é a proteômica – o estudo em larga escala de proteínas. Um artigo recente – Análise proteômica comparativa de diferentes estágios de tecidos de câncer de mama usando espectrômetro de massa em tandem por cromatografia líquida de alta eficiência – publicado on-line no PLoSONE discute como o uso da proteômica pode fornecer pistas para novos biomarcadores na carcinogênese.

Etapas de uma doença

Assim como outras doenças, os pacientes com câncer têm um prognóstico melhor quando a doença é diagnosticada precocemente. O câncer de mama pode ser curado. Quanto mais cedo ele for detectado, mais fácil será curá-lo. Se no momento do diagnóstico o tumor tiver menos de 1 centímetro (estágio inicial), as chances de cura chegam a 95%.Estágios do Câncer analisados com cromatografia - CMS

Existem várias maneiras de descrever o câncer – uma das mais comuns para o câncer de mama é usar os estágios 1 a 4.

  1. O estágio mais inicial. Um pequeno tumor é encontrado na mama ou nos gânglios linfáticos próximos à mama.
  2. O tamanho do tumor está entre 2-5 cm e existem células cancerígenas nos linfonodos ou um tumor de 5 cm que não se espalhou para os linfonodos
  3. Também conhecido como câncer de mama localmente avançado. O câncer se espalhou para os gânglios linfáticos ou para a pele da mama ou da parede torácica.
  4. O câncer se espalhou para outras partes do corpo. Conhecido como câncer avançado ou câncer de mama metastático.

Cromatografia identifica os estágios do câncer

A equipe por trás do estudo mencionado acima usou perfis proteômicos para tentar identificar biomarcadores de câncer para detecção precoce do câncer de mama. A equipe examinou 80 amostras de tumor e combinou o tecido normal adjacente coletado de pacientes com câncer de mama. Os perfis de expressão de proteínas foram então mapeados usando eletroforese em gel.

A equipe analisou as proteínas usando cromatografia líquida de alta eficiência e espectrometria de massa em tandem para identificar as proteínas presentes em cada amostra. O uso da cromatografia para analisar proteínas é discutido no artigo Proteins Under Pressure .

A equipe identificou proteínas nos tumores dos estágios 2 e 3 quando comparados aos controles normais. Eles concluem que o conhecimento da expressão de proteínas, especialmente nos estágios 2 e 3 do câncer de mama, pode fornecer pistas importantes que podem permitir a descoberta de novos biomarcadores na carcinogênese.